domingo, 2 de março de 2008

Humano

Elementos do ar,
do mar ou da terra.
Elementos do arroz e do feijão,
da paz ou da guerra.
Elementos do fogo,
do terror de ter nascido.
Passageiros do tempo.
Inventores de inimigos.
Passageiros da lástima,
da lembrança de ter deixado.
Escravos do passado,
do futuro embaçado.
Estrangeiros no perigo,
no ardor de um novo mistério.
Esculturas distorcidas do que é belo.
Prisioneiros destemidos, e ridículos.
Advogados da razão.
Sem mão, sem jeito pra coisa.
Alegria melancólica
dos que se valem do não ser.
Tristonhos persistentes em não se ver,
enroscados nas mentes uns dos outros.
Pressa, muita pressa, pressa.
Bichanos perdidos.
Doentes dopados.
Alegres pedintes,
com medo do crucificado.
Pressa, muita pressa.
Vontade de ser, e morrer, e ficar, e não ir, e voltar.
Talento na hora de rir.
E sumir, se perder do horror de pensar.
Sedução da beleza da vida,
entoada com a vontade de roubar.

3 comentários:

Eliane Gerk disse...

Minha linda, melhor poeta do Brasil, meu orgulho,
Vontade de gritar ao mundo:
É minha, ela é minha,
Não esqueçam disto nem um segundo.
Mil beijos,
Tua mãe

Wireless disse...

Hello. This post is likeable, and your blog is very interesting, congratulations :-). I will add in my blogroll =). If possible gives a last there on my blog, it is about the Wireless, I hope you enjoy. The address is http://wireless-brasil.blogspot.com. A hug.

Galega disse...

Passei pra espairecer com a sua poesia. :)
Bjs