sábado, 14 de junho de 2008

Domingo




Alguém jamais poderia ignorar um poema desses...rs


Esse é o mal das profundas:

são privadas de curtir o raso.

Por exemplo: eu nesse fim de noite,

doida por um bom amasso,

só tenho proposta com conteúdo.


Inteligência não é tudo

nem ser só carne boa sacia.

Mas o fato é que ele não percebe

que além de poeta, sou plebe.

Sou namorada, mas não todo dia.


Às vezes saio, nesse mar da boiada,

desconfio que perdi os sentimentos.

De papos e olhares, já bem treinada,

desperto mil amores por não amar nada.

Não me deslumbro por querer só momentos


Ele chega como fuga da regra,

mas regra fugida não quer rédia.

Acontece, menino acuado, que

eu também não quero arado.

Sou jardim de paixão pela vida.

Quero só fugir da manada.


Seria só questão de se entregar

e se encontrar comigo em algumas paradas.

É não fugir quando o chama o fogo.

Não há medo de parar

numa simples saída da realidade.

Só há temor em eternidade.


Se você não quer meu convite,

não se preocupe, não desespero.

Apenas gosto de expressar o que quero.

Falando em se afogar, eu sigo:

já tem planos para o domingo?

2 comentários:

Mário Cesar Filho disse...

Nossa, genial esse texto! Bem familiar tb, ahahhah! Me vi em vários momentos, como se fosse a resposta para muitas questões minhas... beijos

Becarol disse...

EXCELENTE!!

(risada maléfica)

Te amo, poetisa linda!